Alegria em Meio às Provações

Tempo de leitura: 5 minutos

Alegria em Tempos de Provações
Texto: Tg 1.1-4 Tiago, servo de Deus e do Senhor Jesus Cristo, às doze tribos da Dispersão, saúde.
Acerca das provações e tentações: 2 Meus irmãos, tende por motivo de grande alegria o passardes por várias provações, 3 Sabendo que a aprovação da vossa fé produz a perseverança; 4 e a perseverança tem a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, não faltando em coisa alguma. 5 Ora, se algum de vós têm falta de Sabedoria, peça-a a Deus, que a todos da liberalmente e não censura, e ser-lhe-á dada. 6 Peça-a, porém, com fé, não duvidando; pois aquele que duvida é semelhante a onda do mar, que é sublevada e agitada pelo vento. 7 Não pense tal homem que receberá do Senhor alguma coisa, 8 Homem de ânimo dobre, inconstante em todos os seus caminhos.

Introdução:
Como agir diante das provações? Alguns ignoram, outros se revoltam, não se conformam, se rebelam, acham que devem ser isentos de lutas. Muitos não entenderam o significado da cruz.
A Carta de Tiago é um dos livros mais atuais e necessários para a igreja de hoje. O autor traz encorajamento aos cristãos que estavam sendo perseguidos ou provados por causa de sua fé em Cristo. Foi escrito aproximadamente entre 10 e 15 anos após a morte de Jesus.
É considerado o livro de Provérbios do Novo Testamento. É um livro prático. Um dos grandes problemas que muitos crentes enfrentam hoje é colocar em prática aquilo que eles professam.

Transformações que Deus opera em nós (1.1):
Provavelmente o autor desta carta foi Tiago, meio irmão de Jesus (Mc 6.3): “Não é este o carpinteiro, filho de Maria, irmão de Tiago, José, Judas e Simão? E não vivem aqui entre nós suas irmãs? E escandalizavam-se nele”.
No começo, ele não cria em Jesus (Jo 7.5): “Pois nem mesmo os seus irmãos criam nele”.
Fez parte das seletas pessoas para quem Cristo apareceu depois da ressurreição (1Co 15.7).
Estava no cenáculo, com os apóstolos no Pentecostes (At 1.14).
Paulo o chamou de pilar da igreja de Jerusalém (Gl 2.9).
Quando Pedro saiu da prisão, falou para seus amigos contarem a Tiago (At 12.17).
Tiago foi o líder do importante concílio de Jerusalém (At 15.13).
De incrédulo a servo de Cristo:
De incrédulo a crente, de crente a líder, de líder a servo de Cristo.
Ele tornou-se um proeminente líder na vida da igreja.
Transformação e humildade. Ele não se apresenta como irmão do Senhor, mas como servo. Ele é humilde. Essa é a transformação que o evangelho produz.

Vendo as provações como motivo de alegria (1.2-4):

  1. A fé cristã não elimina as provações (v. 2) – “… passardes…”:
    Vemos os exemplos no Antigo Testamento de José, Jó, Daniel e Sadraque, Mesaque e Abedenego e no Novo Testamento de Jesus, os apóstolos e cristãos em geral.
    João 16.33: “Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.”
  2. As provações devem nos alegrar (v. 2) – “… motivo de toda alegria…”:
    Não é termos prazer no sofrimento, mas alegria nos resultados das provações.
    A alegria de sabermos que Deus é fiel e não permitirá que sejamos tentados além das nossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, nos proverá livramento, de sorte que a possamos suportar (1Co 10.13).
    Algumas traduções mostram “grande alegria”, ou seja, não é somente alegria, mas “grande alegria”.
  3. As provações são variadas (v. 2) – “… passardes por várias provações”:
    “Várias” significa de diversas provações, muitas talvez.
    Vários tipos, formas, maneiras, tamanhos, períodos, graus de dificuldades.
    Algumas traduções dizem “cairdes”. Algo de repente, de súbito.
  4. As provações são passageiras (v. 2) – “… passardes…”:
    As provações não duram a vida inteira. Ninguém aguenta uma vida inteira da provas.
    Depois da noite, vem o dia. Depois do choro, vem a alegria. Depois da tempestade, vem a bonança.
  5. As provações têm um propósito: identificar os verdadeiros cristãos (vv. 3 e 4):
    Nos tempos da Igreja do Novo Testamento, foram muitos aqueles que negaram a sua fé e o seu compromisso com Deus. Por outro lado, cristãos sinceros e cheios de amor a Cristo foram capazes de ser fiéis até a morte.
    Aqueles que se precipitam e não refletem sobre sua decisão por Cristo, quando surgem provações, não são capazes de resistir e retrocedem (sementes que caíram entre espinhos e as sufocaram).
    Os verdadeiros cristãos fazem das provações uma oportunidade para aperfeiçoarem e se tornarem mais íntegros diante de Deus (v. 4).
    Em nossas igrejas há muitos que recuam diante das primeiras provações pelas quais passam.
    Conclusão e Aplicações:
    Deus não vai nos abandonar nas horas difíceis. Apesar de não estarmos livres das provações e aflições, é preciso ressaltar que Deus está presente nas turbulências para trazer alívio, orientação e conforto. Ilustração: o ritual de maioridade na tribo indígena.
    O grande desafio das provações é provocar no cristão o amadurecimento da fé e a fortificação espiritual. O cristão deve passar pelas provações com alegria, pensando naquilo que ela pode produzir.
    Como agir diante das provações? Em vez de murmurar, de reclamar, de ficar amargo, de enfiar-se em uma caverna, devemos nos alegrar intensamente. Essa alegria é confiança segura na soberania de Deus, de que Ele está no controle de tudo, que tudo cooperará para o nosso bem.
    O privilégio de sermos servos de Cristo. Tiago se apresentou como servo de Jesus, literalmente “escravo”, pois irmão por parte de mãe, ele se via primariamente como servo de Jesus. Não há honra maior do que podermos nos apresentar como servos de Jesus Cristo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *